Governo de Goiás abre seleção com 1.373 vagas para Vigilante Penitenciário

O governo estadual de Goiás abre processo seletivo com 1.373 vagas temporárias no cargo de Vigilante Penitenciário.

Por

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária do estado de Goiás (DGAP) abre processo seletivo com 1.373 vagas temporárias no cargo de Vigilante Penitenciário. As contratações serão temporárias e terão a duração de um ano.

A função exige escolaridade média. A remuneração é de R$ 1.950,46, por jornada de trabalho de 40 horas na semana. O profissional de área irá atuar no desempenho de atividades que compreendam tarefas de apoio à segurança, custódia, assistência e ressocialização dos privados de liberdade, tais como, segurança, vigilância, custódia, disciplina, fiscalização, triagem e escolta dos presos; devendo zelar pela disciplina e segurança dos presos, evitando fugas e conflitos; fiscalizar o comportamento da população carcerária, observando os regulamentos e normas em vigor; providenciar a necessária assistência aos presos, em casos de emergências; fiscalizar a entrada e saída de pessoas e veículos nas unidades prisionais; verificar as condições de segurança da unidade em que trabalha; elaborar relatório das condições da unidade em que trabalha; fazer triagem de presos de acordo com a Lei de Execução Penal; conduzir e acompanhar, em custódia, os presos entre as unidades prisionais integradas do Sistema Penitenciário do estado de Goiás; realizar trabalhos em grupo e individuais com o objetivo de instruir os presidiários, neles incluindo hábitos de higiene e boas maneiras; encaminhar solicitações de assistência médica, jurídica, social e material ao preso; exercer com maior grau de complexidade e responsabilidade as atribuições dirigidas à disciplina; primar pela segurança, fiscalização, assistência social, educação e coordenação de atividades laborativas dos presos, bem como a fiscalização da segurança da unidade; articular-se com a autoridade competente, objetivando melhor cumprimento das normas e rotinas de segurança; elaborar relatórios de acompanhamento das atividades laborativas dos internos; desenvolver atividades que visem à ressocialização do preso, programar atividades de formação cívica, ética, social, cultural, e profissional do preso; desenvolver ações com vistas a despertar no preso o senso de responsabilidade, dedicação no cumprimento dos deveres sociais, profissionais e familiares; executar outras atividades correlatas e as que lhe forem delegadas pela autoridade superior.

As inscrições acontecem entre os dias 26 de junho e 12 de julho, pelo site www.portaldoservidor.go.gov.br. A taxa de participação é de R$ 40,00, com isenção para candidatos com renda abaixo de dois salários mínimos, que sejam doadores de sangue ou doadores de medula óssea.

As provas objetivas acontecerão no dia 19 de agosto, com questões de português; realidade étnica, social, histórica, geográfica, cultural, política e econômica do estado de Goiás e do Brasil; direitos humanos; ética no serviço público; crimes contra a administração pública; e noções da lei de execução penal. A aplicação será realizada nas cidades de Goiânia, Aparecida de Goiânia, Caldas Novas, Rio Verde, Cidade de Goiás, Luziânia, Formosa, São Luís de Montes Belos e Uruaçu. Essa será a única etapa de avaliação da seleção.

A validade será de um ano a partir da homologação, prazo que pode ser prorrogado uma vez pelo mesmo período.

Comentários